Anúncio Top


test banner

Mulheres rurais baianas mostram força do trabalho da agricultura familiar

Mulheres rurais baianas mostram força do trabalho da agricultura familiar

Resistentes, guerreiras, fortes, corajosas, resilientes, as mulheres rurais somam 80% de participação na agricultura familiar, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Na Bahia, elas se destacam na participação e gestão de associações e cooperativas, na lida na roça, e são fonte de inspiração para os jovens.
A agricultora familiar da zona rural do município de Irará, na comunidade de Sobradinho, Maria José Cerqueira dos Santos, acredita na força desse segmento, responsável por mais de 70% dos alimentos consumidos pelos baianos. “Labuto na roça desde criança e cresci nela. Foi na roça, com a produção de mandioca, fazendo beiju, que criei meus oito filhos e é dela que tiro o nosso sustento. Ensinei para meus filhos sobre o valor da terra e é esse aprendizado que passo para os meus três netos, quando eles assistem sentadinhos eu descascar mandioca”.
A luta, força e as conquistas de Maria são fontes de inspiração para sua filha, Ticiane Mirele, que está cursando o 3º ano da Escola Família Agrícola de Irará: “Vi o exemplo de luta da minha mãe, uma mulher guerreira, que quis me capacitar para conhecer mais a roça e valorizar o que a gente tem. Minha mãe me ensinou o valor de plantar, de colher e que mulher é capaz de se sustentar e sustentar suas famílias pelo trabalho na roça. Eu assumo minha origem e é nesta terra que quero viver”.
Maria e Ticiane fazem parte das milhares de mulheres que vêm sendo apoiadas no desenvolvimento de sistemas produtivos e na integração do mercado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), que tem dedicado atenção especial à mulher rural, ampliando o acesso às políticas públicas.
Na comunidade de Sobradinho, por exemplo, está sendo implantado, pelo Bahia Produtiva, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR/SDR), uma unidade de beneficiamento da mandioca, no valor de R$ 316,7 mil, beneficiando diretamente 32 mulheres, entre elas, Ticiane e Maria José: “Hoje, trabalhamos na casa de uma associada, e com esse apoio, teremos um espaço próprio. O trabalho, que é todo no braço, a gente vai dividir com as máquinas. Com a assistência técnica já melhoramos nossa produção, agora é beneficiar na unidade pra gente vender mais e aumentar a nossa renda”, conta Maria José.
O Bahia Produtiva beneficia 42.272 pessoas, 25.436 são mulheres, o que representa mais de 60% do público. Do total de 1.263 empreendimentos apoiados pelo projeto, 464 possuem mulheres como presidente, o que representa 36,7%. (Vinny Publicidade com foto - Ascom/SDR).

Deixe seu comentário

0 Comentários

Os comentários não representam a opinião do blog e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação.