Ultimas

6/recent/ticker-posts

Anuncio top

Anuncios

Suspeito de atuar ilegalmente como advogado é preso em Vitória da Conquista

Advogado é preso em Vitória da Conquista
Um homem suspeito de atuar ilegalmente como advogado em Vitória da Conquista, no Sudoeste da Bahia, foi preso na noite de sexta-feira (14/02). De acordo com informações da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Subseção Vitória da Conquista), João Maria Raimondi, de 44 anos, incentivava moradores a ingressar com ações judicias contra a Caixa Econômica Federal, orientando sobre possíveis danos materiais e morais praticados pelo banco. De acordo com a OAB, essa atuação caracteriza prática de assessoria jurídica. Ainda segundo a entidade, o suspeito, que dizia está há 22 anos atuando na área, prometia resultados efetivos para os possíveis clientes. Ele portava cartão CNPJ com informações falsas e se declarava prestador de serviços jurídicos. O suspeito recebeu voz de prisão de representantes Comissão de Combate ao Exercício Ilegal da Profissão da OAB. O flagrante ocorreu no Residencial Flamboyant “Minha Casa Minha Vida”, no bairro Miro Cairo. No momento da abordagem, o suspeito estava no quiosque do condomínio, prestando atendimento jurídico para cerca de 50 moradores do local e do condomínio Jacarandá. A OAB ainda informou que o suspeito estava há cerca de duas semanas em Vitória da Conquista e já havia prestado o mesmo atendimento para moradores dos residenciais Pau Brasil, Ipê, Acácia e Jequitibá, ambos no Miro Cairo. A ação foi operacionalizada pela Comissão de Combate ao Exercício Ilegal da Profissão da OAB Vitória da Conquista e contou com o apoio da 78ª Companhia Independente de Polícia Militar. Após o flagrante, o suspeito foi encaminhado para o Distrito Integrado de Segurança Pública (DISEP), onde segue detido e está à disposição da Justiça. Na ocorrência, fooi imputado a ele as práticas de exercício ilegal da profissão e falsidade ideológica. A OAB destacou que está apurando o possível o envolvimento de advogados nas atividades ilícitas e que, sendo identificados, os profissionais serão encaminhados ao Tribunal de Ética e Disciplina da entidade. (Vinny Publicidade com informações do Portal G1).